Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
PROJETO CAVERNA   (04-11-2017)
GEOVESTIBULAR/ENEM/PSS  (04-11-2017)
ENQUETE
Qual turma mais acessa este site?
7o Ano 'B' - Polivalente
7os Anos
9os Anos
1o Ano 'A'
2o Ano 'A'
3o Ano 'A'
1o Ano Integrado 'A'
2o Ano Integrado 'A'
Ver Resultados




ONLINE
1





Partilhe este Site...

 

 

 

 

 

 

 

 Logomarca Bonito HI Hostel - Albergue da Juventude

  

     

 

 

 

 

 

 

 

 

   

PENSAMENTOS GEOGRÁFICOS do PIBIDIANO DE GEOGRAFIA JÚNIOR CESAR 

 

"Pra você que faz cara feia quando eu digo que faço GEOGRAFIA ou solta um "Hum, que legal" extremamente irônico...

Só tenho a dizer que a amplicidade dessa ciência me torna a cada dia uma pessoa melhor e aumenta ainda mais o meu amor pelas diversas Geografias que rodeiam a todos. ...   Minha graduação me permite ousar a te falar um pouco sobre o universo ou da formação da Terra. Posso te explanar sobre a dicotomia do urbano X rural ou te fazer me odiar falando de política.   Posso ainda demonstrar como a dispersão dos biomas estão intimamente ligados à composição do solo, ao clima e dentre outros fatores.   Posso te ensinar a diferença de clima e tempo e te fazer perceber o quanto é engraçado quando você diz "Como está o clima hoje?" e te aborrecer falando de economia ou dos males do capitalismo.   Posso mostrar rochas, minerais e o dinamismo das formas e estruturas do relevo.   Posso ainda, descobrir contigo outras cidades, estados, países e continentes, e outros planetas também!   Conto histórias também, do PR, do Brasil e do mundo e quebro a cabeça com problemas matemáticos da nossa amiga Cartografia.   Questiono os problemas da educação geográfica e modifico meu modo de ensinar, para despertar a busca sagaz em aprender Geografia.   São tantas ciências que a Geografia engloba, que posso ter me esquecido de algo que está ao meu domínio. Mas é isso, não existe uma ciência melhor do que a outra, mas se existisse, a Geografia seria uma forte candidata!   A Geografia mexeu comigo e me fez amá-la incondicionalmente.   Enfim, a Geografia é uma mãe que te acolhe e te faz refletir, questionar e propor soluções para o mundo. Ela está em toda parte, até mesmo dentro de você."

 

 

 

 

 

 

 


3 ANO "A"
3 ANO "A"

 

 

 

 

Nesta página serão postadas todas as atividades da disciplina de Geografia, portanto, fique conectado(a).

 

 

 

 

  

 

Conteúdo para as provas do 4o Bimestre.

APA DA ESCARPA DEVONIANA E PATRIMÔNIO CULTURAL

O arquivo está em PDF

 

https://files.comunidades.net/profjopa/APASLAIDS2_1.pdf

 

https://files.comunidades.net/profjopa/PATRIMONIO_CULTURAL_PROVA_4_BI.pdf

 

 

 

 

O que foi a Guerra da Coreia?

Foi quase o início da 3ª Guerra Mundial

 

 

KoreanWarRefugeeWithBaby

 

Como o próprio nome diz, foi um conflito entre as Coreias do Norte e do Sul – mas também foi a primeira batalha militar a opor capitalistas e socialistas, deixando o mundo quase à beira de uma guerra nuclear. A semente de tudo isso foi plantada em 1945, com o fim da Segunda Guerra.

Na ocasião, a Coreia (na época, ainda um único país) estava ocupada pelos japoneses que começavam a se render às tropas aliadas. Os dois principais líderes do bloco, os Estados Unidos e a União Soviética, concordaram em dividir a rendição: os soviéticos receberiam as tropas nipônicas que estivessem na parte norte da Coreia, acima da latitude de 38 graus, enquanto os americanos cuidariam dos soldados do sul. Esse episódio acabou fracionando o país e gerando as duas Coreias. A do Norte, ligada à União Soviética, se tornou comunista. A do Sul continuou abraçada ao capitalismo, apadrinhada pelos americanos.

Em 1949, a maior parte das tropas estrangeiras já tinha saído dos dois países, mas, no ano seguinte, a tensão explodiu com a invasão das forças norte-coreanas no lado sul. Dois dias depois, o então presidente americano Harry Truman mandou tropas para lutar ao lado da Coreia do Sul – outros 15 países também enviaram soldados.

Enquanto essas tropas avançavam para o norte, a China comunista entrou na história para defender os norte-coreanos. Como resposta, o general Douglas McArthur, comandante dos EUA, propôs atacar territórios chineses, mas Truman não deu aval – o presidente americano temia que isso provocasse uma reação da União Soviética, aliada dos chineses.

A situação só começou a mudar em 1952, quando Dwight Eisenhower assumiu a presidência dos Estados Unidos e ameaçou detonar armas nucleares contra a China e a Coreia do Norte se a guerra continuasse. Em julho de 1953, finalmente, foi assinado um cessar-fogo (mas o fim da guerra não foi oficializado até hoje). Não era sem tempo: 4 milhões de pessoas já tinham morrido, a maioria civis.

O primeiro esboço do fim do mundo
A batalha oriental opôs chineses e americanos e quase detonou a Terceira Guerra Mundial

25 de junho de 1950

Em busca de mais território, tropas da Coreia do Norte, comunista, invadem a Coreia do Sul, capitalista. A pedido da Organização das Nações Unidas (ONU), 16 países enviam soldados para combater ao lado da Coreia do Sul. Os Estados Unidos lideram o grupo

15 de setembro de 1950

Forças americanas desembarcam em Inchon, no litoral coreano, 160 quilômetros atrás das linhas inimigas. A ofensiva pega de surpresa os norte-coreanos e parte significativa de seus exércitos é destruída

25 de novembro de 1950

O governo socialista da China decide bater de frente com o bloco capitalista: envia 180 mil soldados para combater pelo lado do norte. É um rascunho do que seria uma Terceira Guerra Mundial

31 de dezembro de 1950

Tropas comunistas lançam sua segunda e mais violenta invasão à Coréia do Sul, com meio milhão de soldados chineses e norte-coreanos. Apesar de sua força, o ataque acabou detido, graças a bombardeios aéreos

27 de julho de 1953

Depois de os Estados Unidos ameaçarem usar armas nucleares no conflito, um armistício é assinado para suspender os combates. Isso não representou um acordo de paz entre os dois países, apenas um cessar-fogo. E a tensão militar continua até hoje na região

 

 

 

 

 

 

 

 

topo