Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
GEOPENSAMENTOS  (18-09-2017)
9 ANO "A" - "B" - "C"  (17-09-2017)
1 TEC. ADM.  (20-08-2017)
2 TEC. ADM.  (20-08-2017)
ENQUETE
Qual turma mais acessa este site?
7o Ano 'B' - Polivalente
7os Anos
9os Anos
1o Ano 'A'
2o Ano 'A'
3o Ano 'A'
1o Ano Integrado 'A'
2o Ano Integrado 'A'
Ver Resultados




ONLINE
1





Partilhe este Site...

 

 

 

 

 

 

 

 Logomarca Bonito HI Hostel - Albergue da Juventude

  

     

 

 

 

 

 

 

 

 

   

PENSAMENTOS GEOGRÁFICOS do PIBIDIANO DE GEOGRAFIA JÚNIOR CESAR 

 

"Pra você que faz cara feia quando eu digo que faço GEOGRAFIA ou solta um "Hum, que legal" extremamente irônico...

Só tenho a dizer que a amplicidade dessa ciência me torna a cada dia uma pessoa melhor e aumenta ainda mais o meu amor pelas diversas Geografias que rodeiam a todos. ...   Minha graduação me permite ousar a te falar um pouco sobre o universo ou da formação da Terra. Posso te explanar sobre a dicotomia do urbano X rural ou te fazer me odiar falando de política.   Posso ainda demonstrar como a dispersão dos biomas estão intimamente ligados à composição do solo, ao clima e dentre outros fatores.   Posso te ensinar a diferença de clima e tempo e te fazer perceber o quanto é engraçado quando você diz "Como está o clima hoje?" e te aborrecer falando de economia ou dos males do capitalismo.   Posso mostrar rochas, minerais e o dinamismo das formas e estruturas do relevo.   Posso ainda, descobrir contigo outras cidades, estados, países e continentes, e outros planetas também!   Conto histórias também, do PR, do Brasil e do mundo e quebro a cabeça com problemas matemáticos da nossa amiga Cartografia.   Questiono os problemas da educação geográfica e modifico meu modo de ensinar, para despertar a busca sagaz em aprender Geografia.   São tantas ciências que a Geografia engloba, que posso ter me esquecido de algo que está ao meu domínio. Mas é isso, não existe uma ciência melhor do que a outra, mas se existisse, a Geografia seria uma forte candidata!   A Geografia mexeu comigo e me fez amá-la incondicionalmente.   Enfim, a Geografia é uma mãe que te acolhe e te faz refletir, questionar e propor soluções para o mundo. Ela está em toda parte, até mesmo dentro de você."

 

 

 

 

 

 

 


2 TEC. ADM.
2 TEC. ADM.

 

 

 

 

 

 

 

Dimensão Econômica e Política do Espaço Geográfico

 

 Indústria e urbanização.

 

3.1 - A cidade e o setor terciário.

3.2 - Rede urbana e Plano Diretor de Ponta Grossa.

3.4 - Industrialização e urbanização no Brasil e no PR.

3.5 - Problemas socioambientais urbanos.

 

 

 

Revisando o processo de industrialização 

 

O processo de desenvolvimento da atividade industrial desde o século XVIII não só representa a mundialização das relações capitalistas, como também exerce papel fundamental nas transformações ocorridas na organização do espaço geográfico e nas relações existentes entre as diversas partes desse espaço, nos mais diferentes níveis.”

( João Rua e outros. Para ensinar geografia. RJ, Access,1993.p.33.)

 

 

Estágios da produção industrial

  • Artesanato
  • Manufatura
  • Maquinofatura (Indústria  moderna)
  • Revolução técnico-científico-informacional

 

Primeira Revolução Industrial

 

  • 1760...
  • Inglaterra
  • Máquina a vapor
  • Indústria têxtil
  • Carvão mineral
  • Locomotivas e navios a vapor

Por que a Inglaterra?

  • Capital
  • Burguesia no poder
  • Carvão mineral e minério de ferro
  • Matérias-primas das colônias
  • Mão-de-obra
  • Posição geográfica
  • Portos e guerras

 

Segunda Revolução Industrial

  • Estados Unidos (1860)
  • Petróleo, eletricidade, aço
  • Motor a combustão interna
  • Indústria automobilística
  • Taylorismo e Fordismo
  • Produção em série
  • Consumo em massa

 

Novos métodos de trabalho

 

Frederick W. Taylor

  • Taylorismo ou organização científica do trabalho

Fordismo (H. Ford)

  • Especialização do trabalhador
  • Linha de montagem
  • Produção em série 

Terceira Revolução Industrial

  • Computador
  • Comunicações
  • Satélites
  • Robótica
  • Ilhas de montagem
  • Biotecnologia

 

Resultado de imagem para revoluções industriais

 

 

 

 

 

Tipos de Indústrias

GEOGRAFIA

Existem vários tipos de indústria, o processo da atividade industrial é classificado conforme seu foco de atuação.

 

A atividade industrial consiste no processo de produção que visa transformar matérias-primas em mercadoria através do trabalho humano e, de forma cada vez mais comum, utilizando-se de máquinas. Essa atividade é classificada conforme seu foco de atuação, sendo ramificada em três grandes conjuntos: indústrias de bens de produção, indústrias de bens intermediários e indústrias de bens de consumo.

As indústrias de bens de produção, também chamadas de indústrias de base ou pesadas, são responsáveis pela transformação de matérias-primas brutas em matérias-primas processadas, sendo a base para outros ramos industriais. As indústrias de bens de produção são divididas em duas vertentes: as extrativas e as de bens de capital.

Indústrias extrativas – são as que extraem matéria-prima da natureza (vegetal, animal ou mineral) sem que ocorra alteração significativa nas suas propriedades elementares. Exemplos: indústria madeireira, produção mineral, extração de petróleo e carvão mineral.

Indústrias de equipamentos – são responsáveis pela transformação de bens naturais ou semimanufaturados para a estruturação das indústrias de bens intermediários e de bens de consumo. Exemplos: siderurgia, petroquímica, etc.


Siderurgia

As indústrias de bens intermediários caracterizam-se pelo fornecimento de produtos beneficiados. Elas produzem máquinas e equipamentos que serão utilizados nos diversos segmentos das indústrias de bens de consumo. Exemplos: mecânica (máquinas industriais, tratores, motores automotivos, etc.); autopeças (rodas, pneus, etc.)

As indústrias de bens de consumo têm sua produção direcionada diretamente para o mercado consumidor, ou seja, para a população em geral. Também ocorre a divisão desse tipo de indústria conforme sua atuação no mercado, elas são ramificadas em indústrias de bens duráveis e de bens não duráveis.

Indústrias de bens duráveis – são as que fabricam mercadorias não perecíveis. São exemplos desse tipo de indústria: automobilística, móveis comerciais, material elétrico, eletroeletrônicos, etc.

Indústrias de bens não duráveis – produzem mercadorias de primeira necessidade e de consumo generalizado, ou seja, produtos perecíveis. Exemplos: indústria alimentícia, têxtil, de vestuário, remédios, cosméticos, etc.


Indústria Alimentícia

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia 

Fonte: http://brasilescola.uol.com.br/geografia/tipos-industrias.htm

 

 

 

Resultado de imagem para tipos de industrias

 

 

 

 

 

 

O que é a industria 4.0? É um conceito de indústria proposto recentemente e que engloba as principais inovações tecnológicas dos campos de automação, controle e tecnologia da informação, aplicadas aos processos de manufatura. A partir de Sistemas Cyber-Físicos, Internet das Coisas e Internet dos Serviços, os processos de produção tendem a se tornar cada vez mais eficientes, autônomos e customizáveis.

Isso significa um novo período no contexto das grandes revoluções industriais. Com as fábricas inteligentes, diversas mudanças ocorrerão na forma em que os produtos serão manufaturados, causando impactos em diversos setores do mercado.

 

Histórico das revoluções industriais seguida pela quarta revolução, ou Indústria 4.0.

 

Resumo das três revoluções industriais seguida pela quarta revolução, ou industria 4.0.

O termo industria 4.0 se originou a partir de um projeto de estratégias do governo alemão voltadas à tecnologia. O termo foi usado pela primeira vez na Feira de Hannover em 2011. Em Outubro de 2012 o grupo responsável pelo projeto, ministrado por Siegfried Dais (Robert Bosch GmbH)  e Kagermann (acatech) apresentou um relatório de recomendações para o Governo Federal Alemão, a fim de planejar sua implantação. Então, em Abril de 2013 foi publicado na mesma feira um trabalho final sobre o desenvolvimento da industria 4.0. Seu fundamento básico implica que conectando máquinas, sistemas e ativos, as empresas poderão criar redes inteligentes ao longo de toda a cadeia de valor que podem controlar os módulos da produção de forma autônoma. Ou seja, as fábricas inteligentes terão a capacidade e autonomia para agendar manutenções, prever falhas nos processos e se adaptar aos requisitos e mudanças não planejadas na produção.

1 – Princípios da Indústria 4.0

Existem seis princípios para o desenvolvimento e implantação da industria 4.0, que definem os sistemas de produção inteligentes que tendem a surgir nos próximos anos. São eles:

  • Capacidade de operação em tempo real: Consiste na aquisição e tratamento de dados de forma praticamente instantânea, permitindo a tomada de decisões em tempo real.
  • Virtualização: Simulações já são utilizadas atualmente, assim como sistemas supervisórios. No entanto, a industria 4.0 propõe a existência de uma cópia virtual das fabricas inteligentes. Permitindo a rastreabilidade e monitoramento remoto de todos os processos por meio dos inúmeros sensores espalhados ao longo da planta.
  • Descentralização: A tomada de decisões poderá ser feita pelo sistema cyber-físico de acordo com as necessidades da produção em tempo real. Além disso, as máquinas não apenas receberão comandos, mas poderão fornecer informações sobre seu ciclo de trabalho. Logo, os módulos da fabrica inteligente trabalharão de forma descentralizada a fim de aprimorar os processos de produção.
  • Orientação a serviços: Utilização de arquiteturas de software orientadas a serviços aliado ao conceito de Internet of Services.
  • Modularidade: Produção de acordo com a demanda, acoplamento e desacoplamento de módulos na produção. O que oferece flexibilidade para alterar as tarefas das máquinas facilmente.

 

 

 

CIDADE

 

 

topo